Domingo, 27 de Julho de 2008

Vaidade não tem idades

Duas senhoras, mãe e filha, idosas, vivem juntas. A mãe, velhinha, com cerca de noventa anos, está entrevada. Faz a sua vida, de dia, numa cadeira de rodas. De vez enquanto, apoiada na sua bengala e com ajuda da filha, com muito custo, lá se endireita e dá uns passinhos. Vê e ouve mal. O ouvido atraiçoa-a. Deturpa-lhe os sons, dificultando por sua vez o seguimento das conversas. Tem, no entanto, apetite e um paladar apurado. Abusa deles, é claro.

Diz a filha e os vizinhos, também, já em idade avançada, que quando nova, foi muito bonita. Agora é uma figura triste, curvada e de cor amarelenta. Usa óculos com lentes muito grossas, de aumento forte, que escondem uns olhos azuis, ainda bem bonitos, mas que vistos através delas, parecem olhos de peixe. O seu nariz, curva em direcção ao queixo aguçado. É uma imagem que condiz com a idade.

A filha, com menos vinte anos, caminha para o mesmo. Ainda tem porte altivo e alguma elegância, mas já se nota curvatura nas costas, dificuldade no andar, falta de vista e ouvido. Á semelhança da mãe, também abusa do paladar apurado. Os seus traços fisionómicos indiciam ter sido uma mulher bonita. Raramente sai á rua, devido ao estado da mãe.

Têm, no entanto, um arsenal de produtos de beleza de fazer inveja: Cremes, loções, blushes, perfumes, batons e vernizes, é o que não faltam. Ambas se servem deles.

A mãe, serve-se do espelho, mas como vê muito mal, de pouco lhe serve. As camadas de creme ou blushes e nódoas de baton são frequentes na cara enrugada. Ainda com uma cabeleira semi-farta, tem cuidados especiais com o penteado: Carrapito (mal feito), cabelo solto e caído, encaracolado (irregular) com rolos manuais são alguns tipos de penteado. São todos feitos por ela. Não larga o pente, a não ser para comer ou tratar da maquilhagem. Por vezes, com a sua mão trémula e enrugada, vê-se a torcer os caracóis com gesto a fazer lembrar a adolescência.

A filha , também se arranja muito bem. Com melhor vista e mais porte cuida-se melhor. Não se vêm nódoas de baton no rosto, mas abusa do blushe, dos cremes e dos vernizes. Arranja o cabelo com frequência, mas mantém o mesmo penteado: Cabelo caído a dar pelos ombros.

Os filhos de uma e netos da outra, pedem-lhes, para não se pintarem tanto. A mais nova, nem responde, ignora e continua a fazer o mesmo. A mais velha irrita-se, revolta-se – O que vocês querem é que não pareça bem!... – Diz ela, quando não amua.

Uma e outra são felizes assim. Sentem-se bem!. Cuidarem da sua imagem, faz parte da sua maneira de ser. Sentirem-se bonitas e cuidadas é viverem melhor!... Serem vaidosas, não é defeito. A vaidade não tem idades.

 

Jcm-pq

publicado por jcm-pq às 15:48
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. Vaidade não tem idades

.arquivos

. Outubro 2014

. Abril 2013

. Março 2013

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Julho 2009

. Junho 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds